Jair Bolsonaro

Apesar de recorde de desemprego, Bolsonaro prepara decreto sobre tomada de três pinos

Segundo o IBGE, número de subutilizados atingiu o recorde de 28,3 milhões de pessoas, apesar disso, até o momento nenhuma proposta foi apresentada para resolução do problema. O foco agora é tomada de três pinos.

Barbudinho

BarbudinhoLuiz Henrique Barbudinho, é ativista digital e político, especialista em marketing e redes sociais, é um dos administradores de uma das maiores redes progressistas do Brasil, com alcance superior a 60 milhões de usuários ao mês. Ficou conhecido nacionalmente e internacionalmente depois de ter invadido uma transmissão ao vivo da Rede Globo com uma placa chamando a emissora de "golpista".

17/06/2019 13h22Atualizado há 3 meses
Por: Redação
Fonte: Com informações G1
Foto: Revista Veja
Foto: Revista Veja

Governo prepara norma para revogar uso da tomada de três pinos

Depois que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) anunciou o fim do horário de verão, instituído no Brasil em 1931, seu assessor internacional, Filipe Garcia Martins, recorreu à sua conta no Twitter, no dia 6 de abril, para defender outras medidas de impacto: “Temos que nos livrar [agora] da tomada de três pinos, das urnas eletrônicas inauditáveis e do acordo ortográfico”. São informações do jornal Valor Econômico.

No início deste mês, Bolsonaro foi pessoalmente ao Congresso entregar o projeto que modifica leis de trânsito, incluindo o fim da exigência de cadeirinha para crianças no banco traseiro.

Agora, diante dos números decepcionantes da economia, o governo resolveu se mexer: prepara uma norma para revogar o uso compulsório da tomada de três pinos.

DESEMPREGO

A taxa de desemprego no Brasil subiu para 12,7% no trimestre encerrado em março, atingindo 13,4 milhões de pessoas, segundo dados divulgados nesta terça-feira (30) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Trata-se da maior taxa de desemprego desde o trimestre terminado em maio de 2018, quando a taxa também ficou em 12,7%, reforçando a leitura de perda de dinamismo e recuperação mais lenta da economia neste começo de ano.

A taxa ficou 1,1 ponto percentual acima da registrada no 4º trimestre, quando o desemprego estava em 11,6% da força de trabalho. Frente a um ano antes, porém, o índice está 0,4 ponto percentual menor. No 1º trimestre do ano passado, a taxa estava em 13,1%.

O resultado apurado para os três primeiros meses de 2019 ficou ligeiramente abaixo do esperado pelo mercado. Média das previsões de 25 consultorias e instituições financeiras consultados pelo Valor Data apontava para uma taxa de 12,8% no primeiro trimestre deste ano.

4comentários
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Blogs e colunas
Últimas notícias
Mais lidas
Ele1 - Criar site de notícias