Sérgio Moro

Ao contrário do que disse Moro, grampo de Dilma não tinha mais autorização quando foi feito

Moro falou no Senado que episódio de 2016 tinha aval legal

19/06/2019 23h39
Por: Redação
Fonte: Época
A ex-presidente Dilma Rousseff foi alvo de grampo em 2016 Foto: Jorge William / Arquivo O Globo
A ex-presidente Dilma Rousseff foi alvo de grampo em 2016 Foto: Jorge William / Arquivo O Globo

Ao contrário do que disse Sergio Moro nesta quarta-feira na audiência do Senado, o grampo nos diálogos telefônicos entre Dilma Rousseff e Lula, em 2016, não tinham autorização legal. As gravações foram feitas após o próprio Moro pedir a interrupção dos grampos, ou seja, fora do período permitido.

A suspensão da captação do áudio do telefone de Lula, em que ele conversou com Dilma, foi determinada às 11h12 do 16 de março de 2016. O diálogo foi gravado às 13h32.

Um delegado comunicou o conteúdo a Moro às 15h34, mas mesmo assim Moro levantou o sigilo às 16h21 do mesmo dia.

Na época, Moro até pediu desculpas ao STF, dizendo que a divulgação não teve motivação político-partidária e que "não havia reparado antes no ponto", mas que não via relevância naquilo.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Brasília - DF
Atualizado às 05h13
16°
Alguma nebulosidade Máxima: 25° - Mínima: 14°
16°

Sensação

9 km/h

Vento

77%

Umidade

Fonte: Climatempo
Blogs e colunas
Últimas notícias
Mais lidas
Ele1 - Criar site de notícias