Segunda, 25 de Maio de 2020
51993949307
Política Sérgio Moro

Ao contrário do que disse Moro, grampo de Dilma não tinha mais autorização quando foi feito

Moro falou no Senado que episódio de 2016 tinha aval legal

19/06/2019 23h39
Por: Redação Fonte: Época
A ex-presidente Dilma Rousseff foi alvo de grampo em 2016 Foto: Jorge William / Arquivo O Globo
A ex-presidente Dilma Rousseff foi alvo de grampo em 2016 Foto: Jorge William / Arquivo O Globo

Ao contrário do que disse Sergio Moro nesta quarta-feira na audiência do Senado, o grampo nos diálogos telefônicos entre Dilma Rousseff e Lula, em 2016, não tinham autorização legal. As gravações foram feitas após o próprio Moro pedir a interrupção dos grampos, ou seja, fora do período permitido.

A suspensão da captação do áudio do telefone de Lula, em que ele conversou com Dilma, foi determinada às 11h12 do 16 de março de 2016. O diálogo foi gravado às 13h32.

Um delegado comunicou o conteúdo a Moro às 15h34, mas mesmo assim Moro levantou o sigilo às 16h21 do mesmo dia.

Na época, Moro até pediu desculpas ao STF, dizendo que a divulgação não teve motivação político-partidária e que "não havia reparado antes no ponto", mas que não via relevância naquilo.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias