Joice Hasselmann

Joice chora ao detalhar ataques virtuais e ganha apoio até da oposição

Assista ao vídeo no final da matéria

06/11/2019 01h03
Por: Redação
Fonte: UOL
Foto: Renato Costa/Estadão Conteúdo
Foto: Renato Costa/Estadão Conteúdo

A deputada Joice Hasselmann (PSL-SP) se emocionou hoje, na Câmara, ao falar sobre ataques que estaria recebendo nas redes sociais e que, segundo ela, já chegaram a seus familiares. Posteriormente, ela recebeu apoio de parlamentares de seu próprio partido, como o Delegado Waldir (PSL-GO), e até de siglas de oposição, como Orlando Silva (PCdoB-SP), Alice Portugal (PCdoB-BA) e Perpétua Almeida (PCdoB-AC).

"Peço que me desculpem a emoção, mas quando meu filho entrou nessa história o coração não aguenta. Mesmo embaixo desse couro duro existe um coração de mãe", disse ela. "Quando meu filho perguntou: 'Por que estão fazendo isso com você?', eu respondi: 'Porque há criminosos'".

"Eu tenho dois filhos, uma jovem e um adolescente. Nenhum de vocês sabe qual é o rosto dos meus filhos. Por quê? Porque eles também já foram ameaçados de morte. Eu tive de me privar da companhia deles muitas vezes. O meu mais novo, semana passada, me disse: 'Mãe, por que estão chamando a senhora de 'porca' na internet? Por que estão chamando a senhora de 'pig' na internet? Não foi a senhora que ajudou tanto esse governo?'. E eu vou dizer para vocês que essas lágrimas não são por mim, porque, como vocês bem puderam ouvir, a minha história é de uma guerreira", afirmou Joice.

"Mas o meu filho de 11 anos recebendo montagens minhas, com meu rosto e o corpo de uma prostituta? Com meu rosto e um corpo deformado nu? Isso eu não vou admitir. Não vai ter homem com mandato ou sem mandato, seja o que for, deputado, senador, presidente, não me interessa! Não vai ter homem, nem mulher, que vai fazer isso com a minha família. Se nós não paramos essa esquizofrenia, essa gangue, não tem como reconstruir esse Brasil", disse.

"Não é uma questão de corporativismo feminino. É uma questão de decência. Eu nunca fui de me vitimizar, nunca. Mas foi a primeira vez que eu realmente me senti vítima do mais sujo machismo, do mais sujo machismo. Encomenda de dossiês falsos, montagens... A minha família não vai passar por isso. Eu não vou permitir. Se não tivessem mexido com a minha família, talvez eu até amenizasse. Mas não o farei", completou Joice.

"Alguém realmente acha que eu, Joice Hasselmann, que não tenho absolutamente nada como devedora de ninguém, vou ter medo de um grupo que forma uma gangue virtual para me atacar? Alguém realmente acha que depois de tudo o que eu passei, com a infância que vivi, sofrendo como o diabo, mas sempre com a proteção de Deus, alguém acha que vou ter medo de cara feia? Que vou ter medo de marmanjo?", questionou.

A parlamentar ainda fez críticas a Jair Bolsonaro (PSL), embora tenha destacado seu "respeito" pelo presidente: "A presidência da República é muito maior do que o puxadinho da cozinha de qualquer pessoa. Um presidente da República representa a todos, até aqueles que não votaram nele. (...) É possível resgatar a sanidade mental da nossa política brasileira".

Assista ao vídeo:

2comentários
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Blogs e colunas
Últimas notícias
Mais lidas
Ele1 - Criar site de notícias