Onyx

Casa Civil é novo antro da crise e Onyx se humilha para ficar no governo

Ministro ficou sabendo pelo Twitter, enquanto estava de férias, de uma das decisões de Bolsonaro que mais enfraquece seus poderes na Casa Civil

31/01/2020 10h57
Por: Folha
Fonte: Revista Forum
Arquivo Web
Arquivo Web

O presidente Jair Bolsonaro decidiu nesta quinta-feira (30) retirar a gestão do Programa de Parcerias e Investimentos (PPI) do ministério da Casa Civil e transferi-la para a Economia. O responsável pela pasta, Onyx Lorenzoni, foi pego de surpresa e, humilhado, afirmou a aliados que só soube da decisão pelo Twitter. Em ato de desespero, o ministro antecipou seu retorno de férias para investir em formas de se manter no governo do ex-capitão.

A decisão do presidente é um ataque direto aos poderes de Lorenzoni no ministério, já que a gestão do PPI era a única tarefa relevante da pasta. Integrantes do DEM, partido do ministro, viram no gesto um golpe “duro e desleal” e defendem que o ministro peça para sair e retorne para a Câmara.

Nos últimos dias, Onyx viu diversos acontecimentos que fragilizaram ainda mais sua gestão. O principal episódio envolve um de seus assessores, Vicente Santini, que foi demitido, recontratado e exonerado em um período de 48 horas por ter viajado à Índia com um avião da Forca Aérea Brasileira (FAB).

Além de Santini, Bolsonaro também demitiu o assessor de imprensa do ministro, Gustavo Chaves Lopes, por ter sido responsável pela nota oficial dizendo que o presidente havia conversado com Santini e garantido sua permanência na Casa Civil. Como forma de agradar o ex-capitão, Onyx contratou como novo assessor Mateus Colombo Mendes, que se define nas redes como “olavete e bolsominion”.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Municípios
Últimas notícias
Mais lidas