Sexta, 14 de Agosto de 2020
51993949307
Educação SESU

Funcionário de carreira, secretário de Educação Superior pede demissão em meio ao caos no MEC

Arnaldo Barbosa de Lima Junior diz em carta aos amigos que pediu para sair do cargo por 'motivos pessoais' e para 'abraçar um novo propósito profissional'.

31/01/2020 11h02
Por: Folha
Arquivo Web
Arquivo Web

Em meio ao caos provocado por Abraham Weintraub no Ministério da Educação, o secretário de Educação Superior, Arnaldo Barbosa de Lima Junior, pediu demissão do cargo nesta quinta-feira (30).

Lima é servidor de carreira do Ministério do Planejamento – atual Ministério da Economia – e deve voltar à função que ocupava.

Continua depois da publicidade

O principal projeto de Arnaldo Barbosa era o rascunho do “Future-se”, anunciado como um grande plano de reestruturação do financiamento do ensino superior público.

Em carta enviada aos colegas, no entanto, Arnaldo Barbosa de Lima Junior diz que pediu para sair do cargo por “motivos pessoais” e para “abraçar um novo propósito profissional”.

Continua depois da publicidade

Leia a íntegra da carta divulgada pelo secretário

“Por motivos pessoais, desligo-me da Secretaria de Educação Superior (SESU) para abraçar um novo propósito profissional. Quando assumi a Secretaria, estava ciente da responsabilidade que resultaria desse ato, mas nunca deixei de ousar e nunca fiz nada sozinho. A SESU ajudou a criar a ID Estudantil, o Diploma Digital, o Novo Revalida e aperfeiçoar o FIES. Conseguimos alocar R$ 230 milhões para investimentos em placas fotovoltaicas e para conclusão de obras que estavam paradas ou em andamento nas universidades federais. Conseguimos 100% dos recursos previstos na Lei Orçamentária Anual (LOA), implementamos cinco novas universidades federais e desenvolvemos o Future-se. Esse programa é o que há de mais inovador na educação brasileira. O envio do Projeto de Lei para o Congresso Nacional encerrará minha missão no glorioso Ministério da Educação”.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias