Quinta, 01 de Outubro de 2020
51993949307
Geral Whatssap

Eduardo e Flávio administram ao menos 20 grupos de Whatsapp e coordenam ataques virtuais

Nesta semana, filhos do presidente distribuíram fake news e ataques misóginos contra Patrícia Campos Mello para pelo menos 5 mil pessoas através do WhatsApp

14/02/2020 14h12
Por: Folha Fonte: Revista Forum
Arquivo Web
Arquivo Web

Os filhos do presidente Jair Bolsonaro, Eduardo e Flávio, são os responsáveis por coordenar os grupos de WhatsApp que nesta semana atacaram com fake news a repórter da Folha de S. Paulo, Patrícia Campos Mello. De acordo com o repórter David Mener, do Intercept, os irmãos controlam ao menos 20 grupos que distribuem mensagens de ódios a pelo menos 5 mil pessoas.

Para atacar a repórter, as fábricas de fake news do deputado e do senador apostaram em postagens misóginas que a acusavam de se prostituir em troca de informações. Os ataques começaram depois que o ex-funcionário da Yacows, Hans River Nascimento, acusou a jornalista na CPMI das Fake News de se insinuar sexualmente com o intuito de conseguir informações para uma matéria. A partir de então, os ataques contra a repórter começaram a repercutir nas redes sociais.

Continua depois da publicidade

A repórter da Folha foi uma das responsáveis por mostrar que empresas como a Yacows usou o nome e CPF de idosos para registrar chips de celular e assim conseguir o disparo de lotes de mensagens em benefício de políticos.

Durante a campanha de Jair Bolsonaro, Eduardo e Flávio já atuavam nos grupos tentando promover a candidatura do pai. Com o tempo, depois das eleições, as redes se tornaram um local de ataque coordenado contra qualquer adversário político. A deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) revelou na mesma CPI no ano passado que Carlos Bolsonaro, outro filho do presidente, também atuava nas “milícias bolsonaristas virtuais”.

Continua depois da publicidade
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias