Domingo, 27 de Setembro de 2020
51993949307
Geral Rodrigo Maia

Pedido de impeachment de Bolsonaro vira trunfo e Rodrigo Maia deve dar início ao processo

Maia pode dar abertura no processo na próxima segunda-feira (23)

21/03/2020 15h25
Por: Redação
Pedido de impeachment de Bolsonaro vira trunfo e Rodrigo Maia deve dar início ao processo

Da Agência Russa Sputnik News - O deputado distrital Leandro Grass (Rede-DF) apresentou nesta terça-feira (17) na Câmara dos Deputados, um pedido de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro.

Na representação, o parlamentar argumenta que o presidente cometeu crime de responsabilidade ao apoiar manifestações populares contra o Congresso e o Supremo Tribunal Federal (STF).

Continua depois da publicidade

Grass diz também que Bolsonaro cometeu falta graves ao afirmar, sem apresentar provas, que as eleições de 2018 foram fraudadas.

Em entrevista à Sputnik Brasil, Rodrigo Prando, cientista político, professor da Universidade Presbiteriana Mackenzie, disse que "a grande questão do processo de impeachment é entender como as forças políticas e sociais vão entender a figura do presidente e de uma crise de pandemia".

Continua depois da publicidade

"Ele [o pedido de impeachment] está nas mãos do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, o mesmo que é atacado dia sim e noutro também pelo presidente, pelos bolsonaristas e pelo entorno do núcleo duro do bolsonarismo dentro do Palácio do Planalto", disse.

Porém, de acordo com Rodrigo Prando, "por enquanto" é difícil Maia dar qualquer andamento a um processo de impeachment contra Jair Bolsonaro.

"Ao que tudo indica, por enquanto, o presidente Rodrigo Maia disse que não será ele o responsável pelo acirramento da crise, acatando este pedido de impeachment. (...) Ressaltando, por enquanto, porque sempre será uma carta na manga do presidente da Câmara, que pode usá-la", afirmou.

Continua depois da publicidade

Rodrigo Prando disse que o papel de Bolsonaro na condução do combate ao novo coronavírus será um elemento chave para o andamento ou não do processo de impeachment.

"A grande questão é a seguinte, a presença do presidente servirá como um elemento de confiança e de calma que a situação reclama ou se a presença do presidente Bolsonaro em uma situação de medo vai atrapalhar ou aprofundar as dificuldades", completou.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias