Terça, 04 de Agosto de 2020
51993949307
Política Genocida

“Gripezinha, Fantasia, Histeria”: Bolsonaro é o grande responsável pela tragédia brasileira

As imagens que chegam de Manaus são fortes e são de emocionar. Bolsonaro que desprezou a pandemia, que quer o povo nas ruas trabalhando, não quer que essas imagens sejam vistas pelo povo brasileiro e por quê? Porque mostram uma situação que fugiu do controle, diferente da narrativa do governo Bolsonaro, que até chamou a pandemia de gripezinha.

21/04/2020 23h35 Atualizada há 3 meses
Por: Folha
“Gripezinha, Fantasia, Histeria”: Bolsonaro é o grande responsável pela tragédia brasileira

As imagens que chegam de Manaus são fortes e são de emocionar. Bolsonaro que desprezou a pandemia, que quer o povo nas ruas trabalhando, não quer que essas imagens sejam vistas pelo povo brasileiro e por quê? Porque mostram uma situação que fugiu do controle, diferente da narrativa do governo Bolsonaro, que até chamou a pandemia de gripezinha.

Manaus vive hoje um colapso na saúde e no sistema funerário. As mortes triplicaram na capital amazonense, com o avanço da pandemia e as cenas que vem de lá, prenunciam o que pode vir a acontecer em todo Brasil.

Continua depois da publicidade

A média diária de mortes passou de 30 para mais de 100, desde o início da crise do coronavírus. Fazendo com que o sistema funerário da capital amazonense colapsasse, assim como a saúde.

Agora diante da explosão de mortes, o sistema funerário passou a fazer enterros em valas comuns.

Em vídeo recente, uma fila enorme de carros funerários é visto entrando em cemitério de Manaus, para enterrar mortos. Agora com o avanço do coronavírus e o estado de calamidade pública, as cenas que vem de lá prenunciam o que deve acontecer em outros estados.

Continua depois da publicidade

Segundo os dados oficiais do governo Bolsonaro, houve até o momento 2741 mortes por coronavírus e cerca de 43 mil casos confirmados.

O observatório do COVID-19, que reúne cientistas e pesquisadores brasileiros e estrangeiros, estima que na realidade as mortes já passaram de 15 mil, devido a falta de testes e alta subnotificação. Subnotificação essa que parece ter virado política de estado.

O prefeito de Manaus, Arthur Vírgilio (PSDB-AM) colocou a cidade sobre estado de calamidade pública. Em nota, a Secretaria Municipal de Limpeza Urbana informou que foram instaladas duas câmaras frigoríficas no cemitério, que “estão sendo utilizadas para o armazenamento dos caixões, enquanto os familiares aguardam o momento do enterro, sem a necessidade do veículo do SOS Funeral ficar aguardando a liberação, já podendo retornar à base para novo chamado”.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias