Segunda, 10 de Agosto de 2020
51993949307
Geral Milton Ribeiro

Novo ministro da Educação já minimizou feminicídio e citou 'paixão' como motivo para assassinato de adolescente

Milton Ribeiro disse, em 2013, que garota de 17 anos pode ter dado sinais de que estava apaixonada por homem de 33 ao reproduzir comportamento aprendido na TV

11/07/2020 09h20
Por: Redação Fonte: O Globo
Milton Ribeiro em entrevista concedida em 2013 Foto: Reprodução / YouTube
Milton Ribeiro em entrevista concedida em 2013 Foto: Reprodução / YouTube

O novo ministro da Educação, Milton Ribeiro , atribuiu a uma "paixão louca" a atitude de um homem de 33 anos que matou dentro de uma escola uma adolescente de 17 anos por querer namorá-la. Ribeiro levantou a hipótese de que a menina "pode ter dados sinais a ele que estava apaixonada ou coisa do tipo" ao reproduzir involuntariamente um comportamento sexual que teria aprendido vendo televisão. Segundo ele, "maneiras e trejeitos" adquiridos por crianças ao assistir programas indevidos são "porta aberta" para pedófilos acharem que estão sendo chamados para um relacionamento. Ribeiro é pastor evangélico e tem doutorado em Educação.

— Acho que esse homem foi acometido de uma loucura mesmo e confundiu paixão com amor. São coisas totalmente diferentes. Ele, naturalmente movido por paixão, paixão é louca mesmo, ele então entrou, cometeu esse ato louco, marcando a vida dele, marcando a vida de toda família. Triste — disse.

Continua depois da publicidade

Os comentários foram feitos como pastor convidado em programa intitulado Ação e Reação, disponível no YouTube desde 2013. O caso do homem que matou a adolescente no Rio Grande do Norte foi novamente mencionado por Ribeiro no vídeo quando ele criticava cenas de nudez e sexo transmitidas pelas televisões abertas, que, na visão do novo ministro, promovem a erotização precoce.

— Esse mesmo rapaz, um camarada que é um homem maduro, se relacionar com uma menina de 17 anos, muito embora as mulheres amadureçam muito mais cedo que os homens. Ela pode ter dados sinais a ele que estava apaixonada ou coisa do tipo e que ela aprendeu, está acostumada a passar, e o cara entendeu assim, só que não era nada daquilo. E a criança pode fazer isso. E o cara, o pedófilo está pensando que a criança está querendo alguma coisa com ele, mas o que ela está fazendo é uma replicação daquilo que ela vê de maneira indevida na tevê aberta — afirmou.

Continua depois da publicidade

Em outro trecho, Ribeiro disse que "trejeitos" supostamente aprendidos por crianças com a televisão são "porta aberta para tendências pedófilas":

— O que me preocupa é a erotização da criança, e a criança então com atitudes e com maneiras e trejeitos que ela vê e que ela imita provocando pessoas que entendem que a criança está querendo ter algum tipo de relacionamento com ela. Isso é uma porta aberta para tendências pedófilas que nós já vimos — afirmou.

O pastor fez ainda uma diferenciação sobre sensualidade e erotismo, afirmando que homens que não sejam homossexuais, "que não tenham tendência para cá ou para lá", gostam de ver o corpo de uma mulher, e vice-versa, mas ressaltou condenar o que chamou de erotização baixo nível em programas de televisão.

Continua depois da publicidade

— Sensualidade é uma coisa, erotismo é outra. Sensualidade é uma coisa até bonita, na mulher, no homem. Acho que tem os seus limites, é coisa bonita. Todo homem que não seja homossexual, que não tenha uma tendência para cá ou para lá, ele gosta de ver o corpo de uma mulher, e vice-versa. Falar que não é mentira. Agora caminhar para uma erotização baixando o nível, no intuito de termos liberdade, agora pode tudo, isso é perigosíssimo. Daqui a pouco uma tevê vai passar cenas explícitas.

O pastor e o apresentador do programa, identificado como Augusto Capodicasa, falaram especificamente de alguns programas da televisão, entre eles "Amor e Sexo", da TV Globo, que teve um trecho reproduzido. Ribeiro disse que não havia assistido, mas, depois de ver, o considerou de mau gosto. Destacou ainda que o que está por "trás disso é uma concorrência desenfreada".

Ribeiro foi procurado pelo GLOBO sobre as declarações, mas não retornou. O MEC também não respondeu até a publicação deste texto.

Continua depois da publicidade

Por favor, clique aqui e se inscreva no nosso canal no YouTube. Precisamos fortalecer nossa luta contra o governo fascista de Bolsonaro.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias