Segunda, 10 de Agosto de 2020
51993949307
Geral Bolsonaro

Bolsonaro pede dispensa de Bia Kicis (PSL-DF) da vice-liderança do governo

O presidente Jair Bolsonaro solicitou, nesta quarta-feira (22/7), a dispensa da deputada federal Bia Kicis (PSL-DF) da vice-liderança do governo na Câmara dos Deputados

23/07/2020 08h49 Atualizada há 3 semanas
Por: Folha Fonte: Correio Braziliense
Arquivo web
Arquivo web

O presidente Jair Bolsonaro solicitou, nesta quarta-feira (22/7), a dispensa da deputada federal Bia Kicis (PSL-DF) da vice-liderança do governo na Câmara dos Deputados. A deputada foi indicada à função de vice-líder do governo na Câmara em março do ano passado. 

A parlamentar integra a ala bolsonarista mais próxima do Planalto. Com frequência, ela defende as pautas do governo e manifesta apoio ao presidente, seja em atos públicos, seja nas redes sociais.

Continua depois da publicidade

A reportagem enviou mensagem à deputada perguntando se ela sabia que perderia a função de vice-líder, mas ainda não houve resposta. Na última terça-feira (21), Bia e outros cinco deputados, sendo três do PSL, votaram contra a proposta de emenda à Constituição (PEC) do Fundo de Desenvolvimento e Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

Foram eles: Filpe Barros (PSL-PR), Junio Amaral (PSL-MG), Chris Tonietto (PSL-RJ), dr. Zacharias Calil (DEM-GO) e Paulo Martins (PSC-PR). No primeiro turno, também votaram contra a aprovação do novo Fundeb Luiz Philippe de Orleans e Bragança (PSL-RJ), que votou favorável no segundo turno, e Marcio Labre (PSL-RJ), que se absteve da segunda votação.

Continua depois da publicidade

O presidente tem tentado apresentar a aprovação do Fundeb como uma vitória do governo, quando não é. A proposta tem sido construída há anos, e o governo federal não participou dos debates desde o início da gestão. Só no final, no último fim de semana, quando o texto já estava pronto para ser votado, que enviou uma série de propostas. No entanto, sofreu derrota.

Mais cedo, a apoiadores no Palácio da Alvorada, Bolsonaro falou sobre os parlamentares que votaram contra a proposta. "Os que votaram contra, devem ter seus motivos. Tem que perguntar para eles porque votaram contra. Agora, alguns dizem que a minha bancada votou contra. A minha bancada não tem seis ou sete (deputados) não. A minha bancada é bem maior que essa daí", disse. 

Agora à noite, o presidente fez a terceira publicação do dia em sua página do Facebook sobre o Fundeb. A postagem trata-se de uma foto dos deputados Helio Lopes (PSL-RJ) e o seu filho Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) com a legenda: "Nós votamos sim ao Fundeb". 

Continua depois da publicidade

Bia Kicis integra o grupo de deputados federais mais próximos do presidente. Bolsonaro, no entanto, tem buscado uma base maior no Congresso, depois de perceber as dificuldades que enfrentava ao ter ao seu lado apenas as alas ideológica e militar. Nos últimos meses, passou a articular com os partidos de 'centrão', reduziu as falas polêmicas e tem evitado atrito com outros poderes, como o Judiciário.  Em maio, o presidente indicou um parlamentar do centrão - Evair Vieira de Melo (PP-ES) - para a função de vice-líder.

A deputada está entre os parlamentares que integram o inquérito que apura a organização e financiamento de atos antidemocráticos, que está no Supremo Tribunal Federal (STF). Houve, inclusive, quebra de sigilo bancário contra ela e outros nove deputados. Ela também é alvo no inquérito das fake news, que investiga ataques e informações falsas contra ministros do Supremo.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias