Quarta, 30 de Setembro de 2020
51993949307
Geral Capitão Adriano

Flávio Bolsonaro diz que Capitão Adriano era seu instrutor de tiro

Flávio disse que Adriano foi seu instrutor de tiro e que o ex-assessor Fabrício Queiroz os apresentou.

10/08/2020 09h39
Por: Folha Fonte: DCM
Arquivo web
Arquivo web

O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) contou pela primeira vez, em depoimento ao Ministério Público do Rio (MP-RJ), detalhes de como conheceu o ex-capitão do Bope Adriano da Nóbrega, morto em fevereiro após trocar tiros com a Polícia Militar da Bahia, onde estava escondido. Flávio disse que Adriano foi seu instrutor de tiro e que o ex-assessor Fabrício Queiroz os apresentou.

Ele ouvido no dia 7 de julho pelo MP no inquérito que apura a existência de “rachadinhas” em seu gabinete na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). — Conheci Adriano dentro do Bope, ele me dando instrução de tiro. (Conheci) Por intermédio do Queiroz, que serviu com ele no batalhão, não sei qual — disse Flávio. — Sempre fui um parlamentar que gostei de conhecer os policiais que iam para o combate, do dia a dia da rua, para o trabalho mais arriscado.

Continua depois da publicidade

Queiroz e o ex-capitão se conheceram na época em que ambos trabalhavam no 18º Batalhão de Polícia Militar (Jacarepaguá). Os dois estiveram envolvidos na morte de um estudante na Cidade de Deus, durante operação policial em maio de 2003, mas nunca foram presos por isso. O MP aponta falhas na investigação e pediu a retomada do inquérito.

Adriano e outros sete policiais receberam de Flávio, na Alerj, uma “moção de louvor” em novembro de 2003. Alguns dias depois, porém, os integrantes do grupamento foram presos em flagrante pelo assassinato do guardador de carros Leandro dos Santos Silva e começaram a responder um processo criminal por homicídio, tortura e extorsão. Nesse período, Flávio os visitou na prisão, conforme noticiou O GLOBO em fevereiro. À época da reportagem, o senador disse em nota: “não há nenhuma relação de Flávio Bolsonaro ou da família com Adriano”.

Continua depois da publicidade

(…)

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias