Quarta, 30 de Setembro de 2020
51993949307
Educação Filosofia

Carta aberta em defesa da filosofia recebe mais de mil e seiscentas assinaturas de filósofos, professores e defensores do pensamento crítico

Filósofas e filósofos se unem em defesa da matéria em Porto Alegre

14/08/2020 19h32 Atualizada há 2 meses
Por: Fabio Goulart Fonte: https://revistagalileu.globo.com/Ciencia/noticia/2016/03/estudar-filosofia-faz-com-que-o-desempenho-escolar-das-criancas-melhore-sugere-pesquisa.html
Parte da pintura Defesa de Sócrates onde o filósofo discursa, aponta para cima e toma a cicuta enquanto seus alunos lamentam.
Parte da pintura Defesa de Sócrates onde o filósofo discursa, aponta para cima e toma a cicuta enquanto seus alunos lamentam.

     Historicamente os grandes livros de filosofia são assinados por uma pessoa só. Aí está uma das principais diferenças entre a filosofia e as demais ciências que têm suas grandes descobertas assinadas quase sempre por um centro acadêmico inteiro. Quando peço para meus alunos do sétimo ano desenharem um cientista, eles geralmente desenham um grupo de pessoas em um laboratório, quando peço para desenharem um filósofo, o desenho quase sempre é de alguém sozinho lendo livros. Digo isso para mostrar o quanto é difícil filósofas e filósofos se unirem para algo, pois é um fato histórico e um conhecimento de senso comum de que a solidão faz parte do processo do filosofar.

     Como professor e ativista da filosofia fiquei espantado negativamente ao perceber o movimento estranho que o secretário de educação de Porto Alegre está fazendo para aos poucos tirar nossa disciplina dos currículos do Ensino Fundamental de nossa cidade. Meu espanto vem do fato de que Adriano Naves de Brito também é filósofo e que, a par de qualquer ideologia, esperava que o mesmo defendesse o pioneirismo porto-alegrense em disponibilizar o ensino crítico da filosofia nas escolas públicas municipais, mas não, julgo que pelos movimentos que apresentarei nos próximos parágrafos, Adriano junto ao prefeito  Nelson Marchezan Júnior (PSDB) estão trabalhando para sufocar a filosofia nas escolas das periferias.

Continua depois da publicidade

     Aproximadamente dez anos atrás Porto Alegre foi uma das pioneiras mundiais a inclui o ensino de filosofia no ensino fundamental. As vantagens do ensino do pensar crítico por meio da disciplina de filosofia no ensino fundamental é transformador e extrapola os limites da sala de aula. Apenas para citar, lembro de um estudo conduzido pela entidade Britânica Education Endowment Foundation (EEF) que constatou a melhora do desempenho dos alunos em matérias como matemática e leitura após a introdução do ensino de filosofia em suas escolas. A EEF analisou os dados de quarenta e oito escolas primárias e mil e quinhentos estudantes que tiveram as aulas de filosofia, além de outros mil e quinhentos que não receberam as aulas no mesmo período. De acordo com a pesquisa, as crianças que tiveram as aulas mostraram uma melhora em seus desempenhos quando comparadas às que ainda não tinham contato com filosofia na época. Porto Alegre não vai bem nos índices de desempenho escolar e com base nisto fica evidente que retirar a filosofia da grade curricular por a mesma não estar na Base Nacional Comum Curricular (BNCC) seria totalmente contraproducente para a mudança desta realidade.

     Durante os quase quatro anos de governo Adriano e Marchezan não abriram nem contratos, nem concursos para professores de filosofia, e em um último movimento desta dança,  o novo concursos para professores de 2020 mais uma vez não consta vagas para nossa disciplina. O cenário é desolador, faltam profissionais formados em várias escolas e com as futuras aposentadorias e licenciamentos este quadro vai ficar ainda pior. Em outros colégios a disciplina filosófica é ministrada por professores formados e concursados de outras áreas, fato que é terrível tanto para filosofia (que vê sua importância e mercado subjugado) quanto para as outras ciências que tem seus profissionais deslocados. Embora a Secretaria Municipal de Educação (SMED) não seja clara nos números, o atual concurso deveria abrir ao menos quatro vagas para professores de vinte horas semanais para preencherem a carência atual, além de um robusto cadastro de reserva a fim de suprir os futuros afastamentos.  Contrariando o senso comum e uma tradição de mais de dois mil e setecentos anos de trabalho solitário nós professores de filosofia nos unimos em um grupo de Whatsapp e decidimos intervir coletivamente a fim de evitar a morte silenciosa de nossa disciplinas nas escolas municipais da capital gaúcha. Em apenas dois dias eu e mais doze professoras e professores escrevemos uma Carta Aberta em defesa da filosofia usando recursos de internet em nuvem com a finalidade de entregar ao também filósofo Adriano Naves de Brito para que o mesmo reflita e faça a retificação do edital do concurso abrindo vagas para professores de filosofia.

Continua depois da publicidade

     Contrariando o senso comum e uma tradição de mais de dois mil e setecentos anos de trabalho solitário nós professores de filosofia nos unimos em um grupo de Whatsapp e decidimos intervir coletivamente a fim de evitar a morte silenciosa de nossa disciplina nas escolas municipais da capital gaúcha. Em apenas dois dias eu e mais doze professoras e professores escrevemos uma Carta Aberta em defesa da filosofia usando recursos de internet em nuvem com a finalidade de entregar ao também filósofo Adriano Naves de Brito para que o mesmo reflita e faça a retificação do edital do concurso abrindo vagas para professores de filosofia. 

     Tal carta foi disponibilizada para assinatura virtual e recebeu até este momento mais mil e seiscentas assinaturas de filósofos dos maiores centros universitários, professores, amantes e defensores da filosofia de todo Brasil. Nosso próximo passo é marcar uma agenda para entregar tal carta ao secretário municipal de educação, porém até o momento não obtemos sucesso. Enquanto isso não ocorre vocês podem ler e assinar virtualmente a carta clicando aqui. Enfim, vamos seguir tentando, afinal poucas vezes tantos pensadores assinaram um mesmo texto na história da filosofia. 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Fabio Goulart
Sobre Fabio Goulart
Fabio Goulart é atualmente um dos pré-candidatos a prefeito de Porto Alegre pelo PSB. Filósofo da educação, da política e da informação. Mestre em Filosofia pela PUC-RS, com período Sandwich na Universidad de la Republica. É Professor da rede pública estadual e municipal de ensino. É líder comunitário diretor da Associação de Comunitária de Moradores do Campos de Ipanema.
Ele1 - Criar site de notícias