Sexta, 27 de Novembro de 2020
51993949307
Geral Trump

Ao contrário do que diz Trump, não há prova alguma de fraude nas eleições dos EUA, diz comissão federal

Não há nenhuma prova de que houve fraude nas eleições norte-americanas, de acordo com a advogada Ellen Weintraub, da Comissão Eleitoral Federal dos EUA

07/11/2020 17h15 Atualizada há 3 semanas
Por: Redação Fonte: Brasil 247
Donald Trump na Casa Branca (Foto: Carlos Barría/Reuters)
Donald Trump na Casa Branca (Foto: Carlos Barría/Reuters)

 Ao contrário do que afirma o presidente dos Estados Unidos e candidato à reeleição, Donald Trump, não há nenhuma prova de que houve fraude nas eleições norte-americanas, de acordo com a advogada Ellen Weintraub, da Comissão Eleitoral Federal dos EUA.

"Não há provas de qualquer tipo de fraude eleitoral", afirmou à CNN. "Houve poucas reclamações sobre a forma como conduzimos as eleições", disse Weintraub. "Não há realmente nenhuma evidência de fraude. Nenhuma das contestações ofereceu qualquer evidência de fraude", reforçou.

Continua depois da publicidade

Neste sábado, 7, nas redes sociais, Trump voltou a acusar fraude nos votos da Pensilvânia, que indicam uma vitória do candidato do Partido Democrático, Joe Biden, que ultrapassou o republicano no início da sexta-feira, 6.

Segundo o presidente, dezenas de milhares de votos foram recebidos "ilegalmente" após o dia 3 de novembro, data em que ocorreram as eleições, na Pensilvânia e em alguns outros estados. As publicações receberam um alerta do Twitter, indicando que as mensagens podem conter informações incorretas sobre as eleições.

Continua depois da publicidade

"Dezenas de milhares de votos foram recebidos ilegalmente depois das 20h na terça-feira, dia da eleição, mudando total e facilmente os resultados na Pensilvânia e em alguns outros estados frágeis", escreveu o republicano em uma publicação no Twitter. "Por outro lado, centenas de milhares de votos foram ilegalmente proibidos de serem monitorados."

Ele também fez referência a grupos de manifestantes que têm se reunido em locais de apuração dos votos para protestar. "As pessoas gritavam: PARE A CONTAGEM e EXIGIMOS TRANSPARÊNCIA (visto que os Observadores Legais não puderam entrar nas salas de contagem)!”

Uma decisão da Justiça Federal na quinta-feira, 5, rejeitou um pedido da campanha de Trump para suspender a votação no estado. Por pressão de Trump, houve recurso à Suprema Corte, que reafirmou uma decisão já tomada pela instância estadual segundo a qual os votos recebidos depois do dia 3 (dia da eleição) sejam contabilizados de forma separada.

Continua depois da publicidade

Os votos recebidos após o dia 3 e, em geral, por correio (permitido pela legislação eleitoral) foram fundamentais para alavancar a campanha de Biden em vários estados dos EUA, permitindo que o democrata ultrapassasse Trump em estados importantes, como Pensilvânia e Geórgia.

Por favor, clique aqui e se inscreva no nosso canal no YouTube. Precisamos fortalecer nossa luta contra o governo fascista de Bolsonaro.

Continua depois da publicidade

Ajude nossa luta contra Bolsonaro, é só R$5 por mês. CLIQUE AQUI.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias