Quarta, 25 de Novembro de 2020
51993949307
Geral Russomano

Russomano pressionou ex-funcionária a desistir de caso de assédio moral contra TV Record

“Seria bom você dar um toque pro advogado, dizer que você não pode continuar com essa ação por conta de você estar trabalhando na empresa”, diz transcrição do áudio do deputado

08/11/2020 16h50
Por: Redação Fonte: Revista Fórum
Foto: Reprodução TV Record
Foto: Reprodução TV Record

A jornalista Mara Flávia Araújo, ex-funcionária da TV Record, afirmou à Justiça ter sido pressionada, em 2018, pelo candidato à prefeitura de São Paulo, Celso Russomanno (Republicanos), em um caso envolvendo assédio moral.

Ela afirma que o candidato era seu chefe na época e insistiu para ela desistir de uma outra ação contra a emissora, por horas extras e questões trabalhistas.

Continua depois da publicidade

Mara, que trabalhava no Patrulha do Consumidor, programa apresentado pelo deputado, conta no processo que não abriu mão da ação e foi retaliada ao ser deixada fora de projetos e gravações e acabou demitida.

Russomanno aparece nos autos apenas como a pessoa da emissora que concretizou as pressões. O processo de danos morais foi impetrado apenas contra a Record.

Continua depois da publicidade

O deputado, por sua vez, afirmou à Folha que tem muito boa relação com a ex-funcionária e que processaria o jornal se a reportagem fosse publicada. De acordo com o candidato, o processo de danos morais não tem nada a ver com ele.

A Record não comentou o assunto.

Mara Flávia contou à Justiça que não atendeu aos pedidos de Russomano de desistir de seus direitos trabalhistas, entre eles horas extras. Por conta disto, ela foi demitida e resolveu entrar com ação de danos morais.

Continua depois da publicidade

Ela foi contratada em 2019, enquanto o processo ainda corria, para trabalhar no gabinete de Russomanno na Câmara, onde ficou nove meses —salário de R$ 6.294.

Depois foi trabalhar no Procon estadual de São Paulo, na área de atuação do deputado, de proteção ao consumidor, onde está até hoje, com salário mais alto, R$ 10 mil.

A jornalista tem áudios de conversas com Russomano, que ela anexou aos autos:

Continua depois da publicidade

“Seria bom você dar um toque pro advogado, dizer que você não pode continuar com essa ação por conta de você estar trabalhando na empresa”, diz transcrição do áudio do deputado.

Outra mensagem, que Mara afirma ser de uma assistente pessoal de Russomanno chamada Fernanda, diz:

“Gostaria de confirmar se você não deseja renunciar ao processo? Pelo que o deputado me informou, a renúncia é fundamental para que você permaneça na Record”, diz mensagem que Mara afirmou ser.

Por favor, clique aqui e se inscreva no nosso canal no YouTube. Precisamos fortalecer nossa luta contra o governo fascista de Bolsonaro.

Ajude nossa luta contra Bolsonaro, é só R$5 por mês. CLIQUE AQUI.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias