Segunda, 17 de Maio de 2021
51993949307
Política Lockdown

Bolsonaro afirma que Exército pode ir para a rua acabar com 'covardia de toque de recolher

Afirmação feita à emissora amazonense Diz estar preparado para “caos no Brasil”

24/04/2021 12h54
Por: Redação Fonte: Poder 360
Bolsonaro disse discutir com seus 23 ministros sobre o plano, afirmando que
Bolsonaro disse discutir com seus 23 ministros sobre o plano, afirmando que "não pode extrapolar". Na foto, o presidente durante desfile militar em Brasília

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta 6ª feira (23.abr.2021) que se prepara para um eventual “caos no Brasil”. Afirmou ainda que pode colocar as Forças Armadas nas ruas para “restabelecer todo o artigo 5º da Constituição [que estabelece o direito da livre locomoção no território nacional em tempo de paz]“, em crítica às medidas de restrição decretadas por governadores e prefeitos.

A declaração do presidente foi dada em entrevista ao apresentador Sikêra Jr., do programa Alerta Nacional, da RedeTV!. Sikêra disse ao chefe do Executivo federal que seus eleitores esperam uma atitude “mais enérgica do presidente da República”.

Continua depois da publicidade

Bolsonaro afirmou que é o chefe das Forças Armadas –referindo-se a elas como “nossas”.

“Se tivemos problema, nós temos um plano de como entrar em campo. O nosso Exército, a nossa Força Armada, se precisar, iremos para as ruas –não pqra manter o povo dentro de casa, mas para restabelecer todo o artigo 5º da Constituição. E se eu estabelecer isso, vai ser cumprido esse decreto”.

Continua depois da publicidade

Bolsonaro disse que as medidas de isolamento são um “poder excessivo que lamentavelmente o STF delegou [aos governadores e prefeitos]“.  O chefe do Executivo citou o artigo 142, dizendo que não é sobre intervenção: “Ele [o artigo 142] fala da Lei e da Ordem.” O texto constitucional ganhou fama em 2020, depois do advogado constitucionalista e professor de Direito Ives Gandra Martins publicar texto em maio de 2020 no que defende o artigo como um “poder moderador” entre os Poderes.

Em entrevista ao Poder360, em 1º de junho, Gandra comparou o artigo 142 a armamentos nucleares, que são incorporados ao arsenal de 1 país para não serem usados –apenas como forma de dissuasão.

Gandra acrescentou que não é o presidente da República, chefe supremo das Forças Armadas, quem decide pela possível intervenção. “São os comandantes militares.”.

Continua depois da publicidade

Em 20 de junho de 2020, o então presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Dias Toffoli, fez uma colocação relacionada ao Artigo 142 da Constituição Federal. Na ocasião, o magistrado afirmou que o Tribunal “é o guarda da Constituição” e que “não é mais possível Forças Armadas como poder moderador”.

O PLANO E OS MINISTROS

O presidente disse que tem conversado com todos os 23 ministros sobre o que fazer caso a situação de “caos” se concretize. “Eu não posso extrapolar”, afirmou.

Continua depois da publicidade

No quadro “CPF cancelado”, que compõe o programa, Sikêra Jr. perguntou ao presidente sobre quem ele gostaria de “cancelar”. Bolsonaro evitou citar nomes. Seguiu o conselho do apresentador para dizer algo mais abstrato e escolheu o “lockdown”.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias