Terça, 15 de Junho de 2021
51993949307
Geral CPI da Covid

Wajngarten admite na CPI que Secom pagou influenciadores para promover “tratamento precoce”

‌Em depoimento na CPI da Covid nesta quarta-feira (12), o ex-secretário de Comunicação do governo Bolsonaro, Fabio Wajngarten, confirmou que a Secom pagou influenciadores digitais para divulgarem o chamado ''tratamento precoce'' contra a covid-19.

12/05/2021 13h45
Por: Folha
Arquivo Web
Arquivo Web

‌Em depoimento na CPI da Covid nesta quarta-feira (12), o ex-secretário de Comunicação do governo Bolsonaro, Fabio Wajngarten, confirmou que a Secom pagou influenciadores digitais para divulgarem o chamado “tratamento precoce” contra a covid-19.

O relator, senador Renan Calheiros (MDB-AL), o questionou sobre uma reportagem da Agência Pública que informou que a Secretaria de Comunicação gastou R$ 23 mil reais com os influenciadores Flavia Viana, que recebeu R$ 11.500, João Zoli, R$ 6 mil, Jéssika Taynara, R$ 3 mil, e Pam Puertas, que ganhou R$ 2.500.

Continua depois da publicidade

A informação foi confirmada por Wajngarten: “Se não me engano, o total dos cachês dos influenciadores deu R$ 23 mil. E por que naquele momento a agência sugeriu que usasse os influenciadores? Porque eles têm muitos seguidores e isso daria mais credibilidade”, justificou.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias