Quarta, 22 de Setembro de 2021
51993949307
Esportes Racismo

Eliminado, Arthur Nory se diz abalado por críticas sobre ato racista

Atual campeão mundial da barra fixa disse que sofreu de depressão e burnout durante a preparação olímpica após ataques nas redes sociais

24/07/2021 12h30
Por: Folha
Eliminado, Arthur Nory se diz abalado por críticas sobre ato racista

A Olimpíada de Tóquio já acabou para o ginasta brasileiro Arthur Nory. Campeão mundial da barra fixa em 2019 e medalhista de bronze do solo na Rio-2016, ele falhou nas duas únicas apresentações em que tentava buscar uma final no Japão, na madrugada deste sábado, 24. 

Frustrado com o resultado, Nory se disse afetado pelas críticas e ofensas constantes que sofre nas redes sociais, em alusão a um ato racista cometido por ele em 2015. “Eu tive muito medo, fiquei muito acuado para tudo. Eu estou abrindo meu coração de verdade. Tudo o que aconteceu na minha história desde o episódio de racismo de 2015 vem à tona sempre que eu apareço. Então é um processo de amadurecimento diário, de entender e melhorar. A gente tem que buscar esses erros e melhorar. Assim como no esporte. Mas, no esporte, essa chance é só de quatro em quatro anos. Mas é aprender com isso e melhorar, para fazer diferente em Paris”, desabafou o atleta em entrevista à TV Globo após sua apresentação de solo, na qual sofreu uma queda.

Continua depois da publicidade

O episódio a que Nory se refere aconteceu há seis anos, quando ele e outros colegas de seleção gravaram vídeos com piadas racistas direcionadas ao colega Ângelo Assumpção, que é negro. Nory chegou a deletar sua conta no Twitter antes dos Jogos de Tóquio e, em nova entrevista à imprensa brasileira no Japão, disse ter sofrido depressão e síndrome de burnout, como é chamado o esgotamento mental ligado à rotina de trabalho

“Fico sempre acuado, pensando em colocar o sorriso no rosto, brigando comigo para isso. E nestes últimos anos vêm isso muito forte, e no momento que você desabafa, assume, vem muita paulada. Venho tomando muita paulada agora e não vou mais me esconder. Vou assumir essa responsabilidade.”, disse. “Foi ano difícil, tive burnout, depressão, tive que parar um tempo, voltar, focar na barra. E estou aqui em mais uma Olimpíada. Atleta, ser humano, a gente erra.”

Continua depois da publicidade
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias