Quarta, 22 de Setembro de 2021
51993949307
Geral PF

Assessor do bolsonarista Marcos Rogério no Senado é alvo da PF por associação ao tráfico

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) é o mais barulhento da tropa de choque bolsonarista na CPI da Covid

02/09/2021 13h37
Por: Folha
Arquivo Web
Arquivo Web

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) é o mais barulhento da tropa de choque bolsonarista na CPI da Covid.

Em praticamente toda sessão do colegiado, ele diz haver uma “guerra de narrativas” sempre que se descobre algum rolo envolvendo o presidente.

Continua depois da publicidade

Outra marca registrada é sua insistência em querer investigar o Consórcio Nordeste.

Segundo ele, o grupo adquiriu respiradores de uma empresa que “comercializa produtos à base de maconha”.

Continua depois da publicidade

Mas o próprio gabinete de Marcos Rogério está supostamente ligado ao tráfico de drogas.

O assessor do bolsonarista, Marcelo Guimarães Cortez Leite, foi alvo da Operação Alcance, deflagrada na quarta-feira (1º) pela Polícia Federal.

Ele é acusado de envolvimento em um esquema de tráfico de cocaína entre os estados de Rondônia e Ceará

Continua depois da publicidade

A operação investiga o grupo pelo envio de mais de uma tonelada da droga de Fortaleza (CE) para Porto Velho (RO).

Em 15 dias, a organização criminosa chegou a receber R$ 1,5 milhão pelo tráfico, de acordo com o Painel Político.

Marcelo Guimarães está lotado no gabinete do senador desde o ano passado, na função de Auxiliar Parlamentar Júnior, e recebeu em agosto salário de R$ 5.735,93.

Continua depois da publicidade

O assessor, que é casado com uma promotora estadual de Justiça, teve a casa revirada pelos agentes federais.

É capaz de o senador dizer que há uma “guerra de narrativas” na Polícia Federal.

Outro lado

Em nota enviada ao JH Notícias, Marcos Rogério informa que solicitou a exoneração do funcionário.

Ele afirma que foi “surpreendido” com a notícia sobre a operação da PF e que está aguardando o desenrolar do caso.

“Fui surpreendido com a notícia de busca e apreensão na casa de um dos meus assessores, lotado no escritório de apoio parlamentar de Porto Velho, RO. Não tenho informações se existe ou não envolvimento na prática de algum ilícito, mas em decorrência das investigações em curso decidi exonerá-lo, aguardando maiores esclarecimentos dos fatos“, diz o comunicado.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias