Terça, 30 de Novembro de 2021
51993949307
Geral Carlos Bolsonaro

Carlos Bolsonaro é derrotado em ataque a passaporte da vacina no Rio

Proposta do vereador de acabar com o passaporte da vacina na cidade foi rejeitada na Câmara de Vereadores por 30 votos a 4

21/10/2021 13h04
Por: Folha
Arquivo Web
Arquivo Web

Rio de Janeiro – O projeto de decreto legislativo do vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos), que previa o fim do passaporte da vacina, foi derrubado na Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro. A votação aconteceu na sessão dessa quarta-feira (20/10) e foi rejeitada por 30 votos contra 4.

O filho do presidente Jair Bolsonaro queria suspender o Decreto Rio nº49335, feito pelo prefeito Eduardo Paes (PSD), que obriga a comprovação de vacina contra Covid-19 para entrar em estabelecimentos.

Continua depois da publicidade

A proposta de Carlos Bolsonaro foi derrubada pelo voto de 30 vereadores contra quatro a favor. Além do vereador autor, deram o parecer favorável ao projeto Gabriel Monteiro (PSD), Vitor Hugo (MDB) e Rogério Amorim (PSL).

“Basicamente essa exigência para frequentar ambientes fechados e coletivos tem como princípio, tem como objetivo básico, a proteção ao próximo, ou seja, precisamos entender que isso é fundamental”, disse o vereador Átila Nunes, ao defender a manutenção da obrigatoriedade do passaporte da vacina.

Continua depois da publicidade

Fala após derrota

Carlos Bolsonaro usou o seu perfil no Twitter para falar da derrota na Câmara de Vereadores e afirmou que “a constituição foi novamente rasgada” pelos parlamentares.

“Nosso PDL 50/21 é rejeitado após dois pedidos de adiamento: um feito por um vereador do governo Eduardo Paes e outro pelo PSOL. Novamente rasga-se a Constituição e aplica-se mais uma derrota à liberdade do povo brasileiro contra, inclusive, ao posicionamento da própria OMS”, disse o vereador, que continuou as postagens.

Continua depois da publicidade

“Passaporte de vacinação: além de nosso PDL, nosso pedido de HC também foi rejeitado e nossa denúncia apresentada à ouvidoria do MP foi recebida, encaminhada, mas há dezenas de dias sem nenhum resultado”, escreveu.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias