Terça, 30 de Novembro de 2021
51993949307
Geral Sigilo

PM impõe sigilo de 100 anos sobre salários de policial acusado de matar Marielle

A Polícia Militar do Rio de janeiro se recusou a informar o valor dos salários do sargento reformado Ronnie Lessa, preso desde 2019 acusado de ser o homem que atirou contra a vereadora Marielle Franco

29/10/2021 11h54
Por: Folha
Arquivo Web
Arquivo Web

A Polícia Militar do Rio de janeiro se recusou a informar o valor dos salários do sargento reformado Ronnie Lessa, preso desde 2019 acusado de ser o homem que atirou contra a vereadora Marielle Franco (Psol) e seu motorista, Anderson Gomes.

Como justificativa para a negativa ao pedido de informação enviado pela GloboNews, a PM citou a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais e o decreto que regulamenta a Lei de Acesso à Informação no estado do Rio de Janeiro. Segundo a PM, as informações estariam sob sigilo de 100 anos.

Continua depois da publicidade

Contudo, os dois artigos citados se referem a dados pessoais, que só podem ser divulgados com o consentimento do servidor — o que não se aplica a valores de salários de agentes públicos. (…)

Processo que investiga Ronnie Lessa no assassinato de Marielle é suspenso

Continua depois da publicidade

A Polícia Militar do Rio de Janeiro arquivou temporariamente uma apuração interna sobre a conduta do policial reformado Ronnie Lessa e a acusação de envolvimento dele com o assassinato da vereadora Marielle Franco, em março de 2018. Segundo a assessoria da PM, não trata-se de arquivamento do caso.

A corporação ressalta que a investigação contra Lessa continuará suspensa até que o processo em que policial reformado é réu pelos assassinatos de Marielle e do motorista Anderson Gomes seja concluído na Justiça. A decisão foi tomada nesta quarta-feira (06).

“A Assessoria de Imprensa da Secretaria de Estado de Polícia Militar informa que os trâmites administrativos não foram arquivados. O sobrestamento é um ato administrativo para aguardar o processo criminal que está em andamento no Tribunal de Justiça”, informou a corporação. Com informações da Agência Brasil.

Continua depois da publicidade
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias