Terça, 30 de Novembro de 2021
51993949307
Geral Rio de Janeiro

Suplente de Flávio acusado de receber propina no RJ abandona bolsonarismo por Moro

Leonardo Rodrigues, segundo suplente do senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ), é mais um a pular do barco do presidente para o do ex-juiz Sergio Moro

24/11/2021 10h56
Por: Folha
Arquivo Web
Arquivo Web

Leonardo Rodrigues, segundo suplente do senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ), é mais um a pular do barco do presidente para o do ex-juiz Sergio Moro.

Segundo a coluna de Guilherme Amado, Rodrigues vai se filiar ao Podemos para se candidatar a deputado federal em 2022.

Continua depois da publicidade

Ele foi secretário no governo de Wilson Witzel e era filiado ao PSL. O suplente era próximo de Flávio Bolsonaro, mas se afastou do Zero Um quando Witzel rompeu com Jair Bolsonaro.

Após o impeachment de Witzel por supostos esquemas de corrupção, o atual governador Claudio Castro exonerou Rodrigues da Secretaria de Ciência e Tecnologia assim que assumiu o cargo, em setembro de 2020.

Continua depois da publicidade

Ele também foi investigado na operação que afastou Witzel do governo. Rodrigues foi acusado pelo Ministério Público Federal de receber propina de empresários.

Luciano Hang também está trocando Bolsonaro por Moro

Com o anúncio da pré-candidatura do ex-juiz, alguns bolsonaristas convictos já estão sinalizando que trocarão o presidente pelo marreco de Maringá. Um deles é o dono das lojas Havan, Luciano Hang, um dos mais barulhentos apoiadores de Bolsnaro.

Continua depois da publicidade

Em entrevista à Jovem Pan, o empresário elogiou o ex-juiz e disse que ele “fez um grande trabalho no Brasil”.

“Sem a operação Lava Jato, talvez o PT estivesse no poder até hoje. A Lava Jato mostrou as entranhas do poder, das estatais brasileiras, o quanto nós somos roubados diariamente”, afirma.

Ele diz que “ainda está cedo” para escolher um candidato para apoiar.

Continua depois da publicidade

“Se antecipou muito as eleições no país, devíamos ter trabalhado e, a partir do segundo trimestre de 2022, falar em eleições. Podíamos ter trabalhado as reformas que mais precisávamos. Como fiz em 2018, lá na frente vou escolher o candidato para apoiar”, afirma.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias