Terça, 30 de Novembro de 2021
51993949307
Geral Bolsonaro

Assessor de Bolsonaro foi à Justiça pedir promoção por assassinato

Max Guilherme Machado de Moura, ex-sargento, assessor especial e segurança de Jair Bolsonaro, reivindicou promoção no Bope por assassinato

24/11/2021 18h59
Por: Folha
Arquivo Web
Arquivo Web

Max Guilherme Machado de Moura, ex-sargento, assessor especial e segurança de Jair Bolsonaro, reivindicou promoção no Bope por assassinato. Ele entrou na Justiça contra o estado do Rio de Janeiro, em 2009, dizendo merecer promoção por bravura por ter participado de um assassinato em favela.

Hoje policial militar da reserva, ele alegou que sua participação no assassinato não foi reconhecida e que, por isso, não foi promovido. Alega que houve uma morte em confronto.

Continua depois da publicidade

O caso ocorreu em 2006, quando ainda era sargento do Bope (Batalhão de Operações Especiais), no Morro do São Carlos, na região central do Rio. Ele diz que participou de operação que matou o traficante “Aritana”. Max alega que “por um equívoco”, seu nome não foi colocado no registro da ocorrência e invisibilizou sua ação.

A reivindicação ocorreu em 2009, três anos após o assassinato. “[Max Guilherme] Informa que tal equívoco prejudicou consideravelmente o ora autor, dada a relevância da promoção em sua carreira. Que, em virtude disso, manejou o requerimento administrativo para sua promoção por bravura, junto ao comando, mas mesmo assim, não obteve deferimento”, diz o documento.

Continua depois da publicidade

Quem é o assessor de Bolsonaro

Max Guilherme trabalho com Bolsonaro há oito anos e está sempre ao lado do presidente. Até hoje o acompanha no cercadinho e em viagens oficiais. O assessor acompanhou o presidente na última vez em que ficou internado no hospital e foi um dos seguranças durante o episódio da facada.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias