Sábado, 29 de Janeiro de 2022
51993949307
Geral Noivinha do Aristide

Noivinha do Aristides: revelação de mulher presa por xingar Bolsonaro explode nas redes

No último sábado (27), em Rezende (RJ), uma mulher de 40 anos foi detida após xingar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

29/11/2021 12h51 Atualizada há 2 meses
Por: Folha
Arquivo Web
Arquivo Web

No último sábado (27), em Rezende (RJ), uma mulher de 40 anos foi detida após xingar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Ela foi presa por injúria e levada para a delegacia da Polícia Federal de Volta Redonda. Mas o motivo para a decisão arbitrária do mandatário não foi simplesmente o fato da mulher tê-lo xingado, e sim as palavras que ela usou.

Continua depois da publicidade

Circula nas redes que Bolsonaro foi chamado de “noivinha do Aristides”. De acordo com jornalistas e internautas, Aristides foi instrutor de judô na Academia Militar das Agulhas Negras, quando o presidente era cadete.

“Aristides era o sargento em cuja cama, segundo Jarbas Passarinho, Bolsonaro ia chorar as mágoas, nas noites quentes de verão dos aquartelados”, diz o ativista Toni Bulhões.

Continua depois da publicidade

A chacota já está a todo vapor, com “Aristides” entre os assuntos mais comentados da internet nesta segunda-feira (29).

O deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS) já aproveitou para tirar sarro. “Bom dia para todas e todos, menos para a Noivinha de Aristides”, disse ele no Twitter.

Mulher xingou Bolsonaro e acabou presa no Rio

Continua depois da publicidade

Os xingamentos ao presidente foram feitos quando ele estava em Rezende para a formatura dos cadetes da Academia Militar das Agulhas Negras.

Antes de seguir para a cerimônia na Aman, Bolsonaro foi até a margem da Via Dutra para acenar para motoristas que passavam pela rodovia. A mulher estava em um dos carros que passou pelo presidente, segundo o G1.

Após os xingamentos, o veículo foi abordado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) e a mulher foi levada para a delegacia da Polícia Federal de Volta Redonda.

Continua depois da publicidade

A Polícia Federal informou, em nota, que foi lavrado um termo circunstanciado pelo crime de injúria. A mulher foi liberada após assumir o compromisso de comparecer em juízo, como determina a lei.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias